Renda Fixa

O que é?
São investimentos mais constantes, recomendados para investidores que buscam uma rentabilidade mais segura, desde que respeitados os prazos da aplicação. Na renda fixa é possível conhecer previamente a rentabilidade, com os títulos podendo ser prefixados, pós fixados ou híbridos.

Como funciona?
Os investimentos de Renda Fixa funcionam como um empréstimo do seu dinheiro para o emissor, que podem ser empresas, instituições financeiras ou o próprio governo. Esses, por sua vez, utilizam seu dinheiro para financiar suas atividades ou dívidas e pagam juros para isso.?


Vantagens
Risco reduzido - De forma geral, os investimentos que possuem os menores riscos são os de renda fixa. Algumas aplicações ainda contam com cobertura do FGC - Fundo garantidor de crédito, que reembolsa o investidor em caso de quebra do emissor, até um teto de 1 milhão, a cada período de 4 anos, para garantias pagas para cada CPF ou CNPJ.

Previsibilidade de retorno – Na renda fixa, desde o momento da aplicação, você consegue prever o retorno que terá futuramente, seja em títulos prefixados (taxa de juros determinada antes da compra) ou pós-fixados (valorização atrelada a algum indicador, como o IPCA ou a Selic).

Retorno superior a poupança - Os títulos de renda fixa são ótimas alternativas para os investidores que desejam buscar alternativas à caderneta de poupança, obtendo rendimentos melhores com risco semelhante.




Tipos de Investimento em Renda Fixa
Títulos públicos federais - são considerados os investimentos mais seguros do mercado, pois possuem garantia do Tesouro Nacional. Simplificadamente, você empresta dinheiro, em troca de juros, para o governo financiar a dívida pública.

CDB – Os Certificados de depósito bancário são títulos de dívida emitidos por bancos. Em outras palavras, você empresta dinheiro para um banco financiar suas atividades. Um investimento simples e seguro, que conta com cobertura do FGC.
 
LC – As letras de câmbio são títulos de dívida oferecidos por sociedades de crédito, investimento e financiamento, as Financeiras. Funcionam de maneira semelhante aos CDBs, possuindo garantia do FGC.

LCI, LCA – Isentos de IR e cobertos pelo FGC, as letras de crédito imobiliário e as letras de crédito do agronegócio são ótimas opções para investidores que buscam isenção fiscal e segurança. São títulos de dívida emitidos por instituições financeiras para captarem recursos para emprestar aos setores imobiliários e do agronegócio.

Debêntures – São títulos de dívida emitidos por empresas, que captam recursos para fomentarem suas atividades. No fim do prazo definido, a empresa devolve o valor investido acrescido dos juros previamente acordados com o investidor. As debêntures não possuem cobertura do FGC, portanto, é importante buscar companhias com histórico financeiro positivo e um bom rating.

CRI, CRA – os certificados de recebíveis imobiliários e certificados de recebíveis do agronegócio são títulos de dívida emitidos por companhias securitizadoras para captação de recursos nos setores imobiliário e do agronegócio. Uma boa opção de investimento com boa rentabilidade e isenção de IR, porém, sem cobertura do FGC.

LF – As letras financeiras são títulos de dívida emitidos por instituições financeiras que buscam recursos de longo prazo, dado que tem prazo mínimo de dois anos. Oferece aos investidores rentabilidade superior as aplicações financeiras com liquidez diária ou prazo inferior de vencimento, porém, não conta com cobertura do FGC.